Saúde - onde estamos e para onde vamos

Essa semana tivemos o Congresso Interdisciplinar em Saúde na Universidade São Francisco, em que discutimos muitas questões relacionadas à saúde, sob vários pontos de vista.



A proposta multidisciplinar do congresso pôde nos dar uma visão ampla da situação da saúde no país, do ponto de vista de vários profissionais - biólogos, biomédicos, enfermeiros, farmacêuticos, dentistas, fisioterapeutas, psicólogos, nutricionistas e educadores físicos. Com essa visão, conseguimos entender a situação atual e o que podemos fazer para contribuir com a saúde no nosso país.

Nesse sentido, o ponto principal foi a necessidade da integração entre os profissionais, visando um melhor atendimento ao paciente.




Também tivemos uma mesa-redonda saúde 4.0, em que discutimos o uso de novas tecnologias na saúde. Ana Ciconelle, da MaChiron, apresentou o uso da inteligência artificial e mostrou exemplos da ferramenta na melhoria de diagnósticos e entendimento de doenças. Janaína Dernowsek, da BioEdTech, mostrou soluções de construção de tecidos por bioimpressora 3D, para diversas finalidades (próteses, reposição celular, testes de medicamentos). E Eduardo Motti, dos Laboratórios Aché, nos mostrou as ações de inovação que a empresa implementou e os novos medicamentos que estão sendo desenvolvidos.

A tecnologia na saúde já é uma realidade e está ajudando em muitos processos no entendimento das doenças e necessidades dos pacientes, mas muito ainda há pra ser feito, para que as ações cheguem, de fato, ao paciente. Isso envolve não somente questões técnicas, mas também regulatórias e de gestão em saúde.

Mesa redonda Saúde 4.0

Ainda tivemos uma palestra sobre tecnologia 3D em pesquisa, em que Glauco Souza, um dos pioneiros em cultura de células 3D e esferoides, nos mostrou como a tecnologia está sendo utilizada e quais as perspectivas. Com essa abordagem, podemos utilizar, em laboratório, um sistema um pouco mais complexo que uma simples cultura celular, que pode nos responder perguntas como toxicidade e mecanismo de ação de novos fármacos, interação entre células, etc, sem a necessidade de utilizar animais de experimentação.


Glauco Souza na palestra "Tecnologia 3D em Saúde"

E para finalizar, tivemos a presença de profissionais inusitados da saúde: os cachorros!

A empresa Patas Therapeutas leva os animais (cachorros, gatos, furões, coelhos, etc) em hospitais, creches e asilos para melhorar a saúde das pessoas. O encontro com os animais promove alívio do estresse e mudança do foco da doença, e muitos pacientes, principalmente as crianças, apresentam melhoras significativas após a "terapia" com os animais.


Cães do Patas Therapeutas, que fazem trabalho em hospitais, creches e asilos

Desta forma, vimos muitas soluções na área da saúde e oportunidades em que podemos atuar, pensando na melhoria de qualidade de vida e bem-estar da população.

0 visualização

© 2023 por Cientista. Orgulhosamente criado com Wix.com

  • Facebook Clean Grey
  • Twitter Clean Grey
  • LinkedIn Clean Grey